terça-feira, 30 de junho de 2009

PINA BAUSCH










A intensa luminosidade que envolve o Rio de janeiro no dia de hoje não combina com a triste notícia da morte de Pina Bausch.

A Pina foi uma coreógrafa alemã que repaginou a história da Dança Teatro, contribuindo para o desenvolvimento da dança contemporânea de uma forma geral e influindo também sobre a encenação teatral como um todo. Aliás, artistas de diversas categorias, do cinema, da música e, provavelmente, artistas plásticos e poetas também foram tocados por sua criatividade.

Meu primeiro contato com sua obra foi em 1990, quando ela trouxe Sobre a Montanha Ouviu-se um Grito para o Teatro Municipal dentro da programação do Carlton Dance. Lembro que morava em Porto Alegre e vim cespecialmente para assistir a apresentação daquele espetáculo.

Depois disso aluguei diversos vídeos seus na biblioteca do Goethe Institute. Naquela época não havia internet e muito menos Youtube, então para ver esse tipo de coisa tinha-se que procurar e muito.

Em julho de 1995 assisti no Festival de Teatro de Avignon, na região provençal da França, a dois espetáculos incríveis, Café Müller e Sagração de Primavera. Esse festival toma conta de toda cidade, onde ocorrem apresentações de todo tipo em diversos teatros e também na rua. Numa tarde daquelas, conheci Regina Advento, uma bailarina mineira ex-integrante do Grupo Corpo que passara a integrar o grupo de Pina após uma audição feita em 90 durante o Carlton Dance. Aliás, no elenco de Pina tinha bailarinos do munto inteiro, o que conferia ao grupo uma diversidade étnica que contribuia muito para o enriquecimento dos espetáculos.

Ainda em 95, no mês de agosto, eu estava fazendo uma temporada de shows na cidade de Pescara no leste da Itália e fui a Roma onde assisti a outro maravilhoso espetáculo da companhia, Nelken (Cravos) que apresentava três canções brasileiras na trilha sonora, entre elas As Pastorinhas de Noel Rosa e João de Barro. Foi uma noite memorável coroada num café onde tive o prazer de encontrar Pina Baush e presenteá-la com meu primeiro disco. Ela além de tudo era acessível e atenciosa.

Anos depois uma amiga minha foi até Wuppertal, no noroeste da Alemanha, onde ficava sediada companhia e lá participou de uma festa que contava ainda com as presenças de Caetano Veloso e Pedro Almodóvar. Mais ou menos por essa época, Almodóvar rodava Fale Com Ela e acabou utilizando um trecho de Café Müller na abertura do filme.

Pina tinha muito interesse pelas coisas do Brasil. Além de Regina Advento havia outros brasileiros na companhia, Dulce Pessoa, Geraldo Si Loureiro e Ruth Amarante. No seu espetáculo Valsas de 1982 ela contava com onze choros e valsas brasileiras de Zequinha de Abreu e Catulo da Paixão Cearense entre outros compositores. Em Mazurca Fogo, sobre Lisboa, Pina abria o espetáculo com a música Desentope Batucada de Marcos Suzano e ainda utilizava Samba de Orfeu de Luis Bonfá e Antonio Maria e Batuque nº 16 de Baden Powell.

Pode-se dizer que Pina Baush  faz parte do elenco dos grandes artistas que atuaram no Sec XX começo do XXI.. Aqui dei meu depoimento pessoal, falando dos contatos que tive com Pina e sua obra. Há muito ainda o que se dizer sobre ela, considerações estéticas e como ela ajudou a enriquecer minha subjetividade. mas o trabalho me chama e portanto deixo com vocês algumas fotos que falam mais do que palavras.

Pra quem tiver interesse pelo assunto, no Youtube há diversos vídeos, entre eles a abertura de Fale Com Ela. Há também alguns livros com fotos incríveis que podem ser encontrados nas Americanas e na FNAC. 

Links

vídeos
http://www.youtube.com/watch?v=iHzlEvtjaOw
http://www.youtube.com/watch?v=KXVuVQuMvgA

livros
 http://www.americanas.com.br/AcomProd/1472/882719
http://www.fnac.com.br/pesquisa/-1/fnac.html?=pina%20bausch


Bom proveito
Abraços

fotos:
Diversos espetáculos de Pina Bausch
Luminosidade do Rio hoje por volta de meio dia

 









 

13 comentários:

Giselle disse...

Nossa, que imagens belissimas!!Nunca vi a apresentação + só as imagens ja sao um espetáculo!Uau...
Abraços

Martina disse...

Que lindas fotos!

Vou pesquisar agora mesmo sobre Pina Bausch.

Como é que eu não conhecia?

To adorando o seu blog.
Beijinhos
Martina

Anna Luna disse...

Conhecia Pina Bausch de nome e daquele começo do filme do Almodóvar que eu amo!!!!

Depois que li seu post dei uma acessada no Youtube e vi coisas belíssimas.

Há, ao que parece, muito sentimento nas coreografias, às vezes muita dor e em outras muita alegria.
É contagiante.

Será que ela vai coreografar o Michael no céu?

To gostando de ver a frequência do blog.
É isso aí. Dá gosto de vir aqui.

Beijos
Anna

Hannaly Oliveira disse...

lindas fotos!
em especial a penúltima!

Bom saber algumas coisas que te inspiram, infelizmente, sobre a Pina fiquei sabendo tarde demais!

Como é bom te ter por aqui!
Me sinto perto.

Beijones.

Elisabeth Cerqueira disse...

Olá Antonio

Não sabia que você também era versado em dança.

E que privilégio ter estado perto da Pina.

Fiz danca contemporânea muitos anos em São Paulo, mais voltado para a técnica de Martha Graham, não sei se você conhece. Mas sempre amei demais o trabalho de Pina Bausch, visualmente os espetáculos de dança mais bonitos que já assisti.

Também vi Um Grito ... no Rio, estava de passagem na época por aí e quase fiz a audição em que a Regina passou. Na última hora achei que não estava preparada.

Atualmente moro em Madrid e adoro Almodóvar. Uma vez jantei num restaurante onde ele estava, mas não tive coragem de lhe dirigir a palavra. Sabe como é, tremedeira de fã.

Mas que bom estar aqui falando com você, como disse alguém num dos comentários, também me sinto bem próxima.

Conheci seu trabalho a princípio nas vozes de outras cantoras, principalmente Ana Carolina. Um dia ganhei seu DVD de uma amigo que sabia que eu gostava dela e me apoixonei por sua voz, seu jeito doce e concentrado. As músicas conhecidas ganham outra dimensão, mais profunda na sua interpretação. Amores Possíveis é divina. Também adoro Ela Não Sabe Dizer Adeus, soa como um clássico!

Adorei as cenas do making off onde dá pra ver como surgem as idéias musicais. Muito bom

Parabéns pelo seu trabalho e pelo blog..
Qeu seu caminho esteja sempre iluminado


Se vier fazer show na Espanha, coloque no blog pra eu ficar sabendo.

Beijos e muita luz pra você
Beth

Anônimo disse...

Antonio

A julgar pelo seu blog você parece ter ficado mais tocado com a morte de Pina Bausch do que com a de Michael Jackson.

Por que essa ligação tão forte com dança ou pelo menos com essa dançarina?

Pablo (Vitória/ES)

Carol disse...

Oooi, Totonho!
Vc já deve estar cansado de ler comentários aqui do pessoal q achou seu blog na comu da Ana. :)

Maas, eu queria dizer que li o blog todo, e te admiro muito mais agora do que antes. Claro que suas canções são maravilhosas e que nas suas parcerias com a Ana, as letras parecem decifrar minha alma, mas enfim... adorei seu blog, o modo como vc escreve e enxerga as coisas. Parabéns! Lhe admiro muito!


Um beijo, Carol.

Fabiana. disse...

realmente um trabalho imortal se revela nos videos e fotos dela!! com muita cor, emoçoes, encantamento e beleza!
fique em paz pina!

Nina disse...

Ólha que lindo está esse blog.

Depois de tanto tempo jogado às moscas, nunca vi tantos textos feitos em tão pouco tempo.

Coisas muito interessantes.

Adorei as fotos da viagem, as fotos da Festinha do João Suplicy (também sou fã do senador Eduardo).

Sou de BH e vi muitas apresentações do Grupo Corpo, um orgulho para nós mineiros.

Reforço a pergunta do Pablo:
de onde vem esse seu interesse pela dança?

As imagens dos espetáculos da Pina Baush são maravilhosas, principalmente aquela em que os bailarinos jogam água.

Parabéns, Villeroy
e obrigada por ter voltado a escrever.

Beijos dessa fã que lhe acompanha de longe

Nina

Belle disse...

Oi Antonio...hj escreverei pouco pois estou dodói e nem me aguento aqui no pc...logo voltarei pra cama.
Lindas fotos, bonita homenagem a Pina Bausch.
Bom te ver lá no twitter!!
Bjs,
Isabelle.

Mariana disse...

Linda sua homenagem à Pina Bausch.

Li hoje uma matéria sobre ela na Folha de São Paulo.
Não sabia que ela era tão importante assim.

Gente de peso deu seu depoimento
falando que ela e um dos artistas mais importantes dos últimos tempos. O Gerald Thomas então foi às làgrimas.

Legal que você está atento!

Beijos e sucesso sempre.
Mari

Kiana_Nursing disse...

Oi Totonho!!!
Imagens belissimas!!!
Vi o filme de Almodovar,Fale com ela,e é tocante o filme...Assim cmo esse seu post cheio de emoção ao falar com tanta propriedade sobre a dança,algo seu q acabei de descobrir,q alem de um talentoso músico,és tb um homem q tens uma sensibilidade p vários tipos de arte...

Obg por nos enriquecer com seus conhecimentos,e carinho p conosco,seus fãs!!!!

xerãooo de sua fã potiguar

Anônimo disse...

"Certa vez chegou à corte do príncipe Birkasha uma bailarina com os seus músicos.
Foi admitida à corte e dançou diante do príncipe, ao som do alaúde, da flauta e da cítara.
Bailou a dança das chamas, a dança das espadas e das lanças;
a dança das estrelas e a dança do espaço.
Por fim, a dança das flores ao vento.
Depois, ficou de pé ante o trono do príncipe e inclinou o corpo diante dele.

O príncipe fez sinal para que se aproximasse e disse:
Formosa mulher, filha da graça e do gosto, de onde vem a tua arte? Como é que no teu ritmo e nas tuas rimas dominas todos os elementos?

A bailarina inclinou-se de novo diante do príncipe, e respondeu: Poderosa e benévola Majestade, não sei responder às vossas perguntas. Sei apenas isto: a alma do filósofo reside na sua cabeça, a do poeta no seu coração; a alma do cantor hospeda-se na sua garganta, mas a alma da bailarina mora em todo o seu corpo".
[Khalil Gibran]

Adorei "Totonho"...
O poeta define sensivelmente a bela, humana e vicejante alma dessa Grand Mére PINA BAUSCH.

Beijocas
Márcia Paschoal

PS.: Parabéns pela sua arte, suas compósições e por tudo que a inspira...